QuiosqueAnteriorSeguinte

Actualidade Quem Disse

“As políticas nunca são particularmente populistas ou antipopulistas, sejam elas sobre imigração, economia ou qualquer outra área. O que define o populismo é a reivindicação do monopólio moral da representação que surge quando alguém diz 'nós, e só nós, é que representamos o povo'.”
Jan-Werner Müller
3 de Maio de 2018
Rádio Renascença

“Sim, o transporte de automóveis é mais rigoroso e cuidadoso, não vá a mercadoria danificar-se, do que o transporte de animais.”
André Silva

5 de Maio de 2018
In Revista Sábado

"Estamos a lidar com o mundo de uma forma tal que não se partilham os valores. O mundo globalizou-se muito e é necessário adoptar uma base de cooperação de 'win-win', não de 'eu ganho e tu perdes'. Todos estamos a perder, porque não estamos a ser justos, não estamos a promover a igualdade, e nas esferas da segurança e económica não tem havido essa aproximação de colaboração. Penso que estamos a caminho da autodestruição."
Mohamed El Baradei

7 de Maio de 2018
RTP

"O acordo nuclear com o Irão é essencial para a segurança da região, da Europa e do mundo inteiro […] O acordo cumpre o objectivo de garantir que o Irão não desenvolve armas nucleares, e a União Europeia está determinada em preservá-lo. Não deixem ninguém desmantelar este acordo."
Federica Mogherini

8 de Maio de 2018
In Diário de Notícias

"Hoje anuncio que os Estados Unidos se retiram do acordo nuclear com o Irão […] Dentro de alguns instantes vou assinar uma ordem presidencial para que se restabeleçam as sanções americanas ligadas ao programa nuclear do regime iraniano […] Qualquer país que venha a ajudar o Irão neste caso das armas nucleares poderá também ser fortemente sancionado pelos Estados Unidos."
Donald Trump

8 de Maio de 2018
In Jornal de Notícias

[Numa alusão às restantes potências que assinaram o acordo nuclear e sugerindo que pretende discutir com europeus, russos e chineses.] “Devemos ser pacientes para ver como os outros países reagem."
Hassan Rohani
8 de Maio de 2018
TVI

“O problema das insolvências é um problema muito grave do ponto de vista da justiça económica, mas parece que o tribunal de cá [Funchal] está a funcionar bem. É uma excepção à regra pelo lado positivo, agora é preciso que tudo o mais acabe por seguir este exemplo.”
Guilherme Figueiredo

14 de Maio de 2018
in dnoticias.pt

"Nós, comunidades religiosas presentes em Portugal, acreditamos que a vida humana é inviolável até à morte natural e perfilhamos um modelo compassivo de sociedade e, por estas razões, em nome da humanidade e do futuro da comunidade humana, causa da religião, nos sentimos chamados a intervir no presente debate sobre a morte assistida, manifestando a nossa oposição à sua legalização em qualquer das suas formas, seja o suicídio assistido, seja a eutanásia."
Declaração do Grupo de Trabalho Inter-Religioso Religiões-Saúde

17 de Maio de 2018
In agência Ecclesia.pt

“Faz falta bom jornalismo, jornalismo de qualidade, útil, distanciado dos poderes, independente, fiável, plural. Sem ele tolhe-se a liberdade e não há democracia plena que resista. Termino com um alerta, um alerta do já citado professor de Harvard Daniel Ziblatt: 'Hoje, as democracias morrem com subtileza, não com golpes de Estado e tanques na rua. Estar vigilante é uma obrigação de todos.' E estar vigilante, digo eu, é estar bem informado, atento ao espaço público e armado de sentido crítico. O maior inimigo da liberdade é a ausência de sentido crítico.”
António José Teixeira

18 de Maio de 2018
RTP

"Naquele tempo, as pessoas comiam o pão duro dos dias sem sol, viviam à míngua e morriam, em regra, sem assistência médica. Foi essa paisagem humana de sofrimento e resignação que, sem metáfora nem retórica, despertou em mim o inconformismo activo perante as injustiças inevitáveis e me fez um cidadão comprometido com o povo e a pátria […] Creio que foi esta rebeldia, e também a minha intervenção cívico-social para ajudar, embora modestamente, a construir uma sociedade mais livre, justa e solidária, que justificaram a alta distinção que me vai ser conferida."
António Arnaut

29 de Maio de 2014
(Excerto do discurso proferido no dia em que recebeu o grau de doutor ‘honoris causa’ pela Universidade de Coimbra.]

“Porque a quantidade de vida adicional não compensa a qualidade de vida perdida.”
Alexandre Quintanilha

22 de Maio de 2018
In Expresso

[Sobre as fake news.] “A primeira causa é o spam. A maneira de lutar contra isto é a mesma que as empresas têm utilizado para lutar contra o spam nos emails: é retirada a forma como se faz lucro. A segunda causa são as contas falsas. Apagámos cerca de 580 milhões no último trimestre. A última causa são as pessoas que têm boas intenções mas partilham algo que é comprovadamente falso. Não queremos colocar-nos numa posição em que dizemos o que é verdadeiro e o que é falso. Trabalhamos com fact checkers exteriores e somos públicos quanto a quem eles são e se eles dizem que a história é provavelmente falsa tentamos mostrá-la menos.”
[Regulação.] “A questão não é regulação ou não, é qual é a regulação certa. O mais importante é ter a certeza de que temos molduras reguladoras que protegem as pessoas que são flexíveis, que não proíbem inadvertidamente novas tecnologias como a inteligência artificial e que não proíbem um estudante no seu dormitório, como eu era, de ser capaz de desenvolver o próximo grande produto.”

Mark Zuckerberg

22 de Maio de 2018
In Observador

“Cada pessoa é um mundo de coisas e de complexidades, querer reduzi-la a uma é empobrecê-la.” [Mas depressa deixou o neorrealismo...] "Fi-lo instintivamente e sem que fosse uma decisão, como um homem de vontade fraca. A mão pode chamar para um lado e a cabeça para o outro, podem estar em contradição, mas a mudança vai acontecendo naturalmente. A contradição é mesmo o motor de arranque do nosso pensamento."
Júlio Pomar

22 de Maio de 2018
Expresso (excerto da entrevista publicada na revista E a 4 de Março de 2017)

“Defender a despenalização da eutanásia, tal como ela está a ser proposta actualmente no Parlamento português, significa reconhecer a cada um/a, como ser moral, inteligente e livre, o direito de, em consciência e em situações de reconhecida impossibilidade de cura e sofrimento insustentável físico e psíquico, decidir sobre o fim da sua vida. Não se trata de reconhecer um direito a matar. Trata-se de reconhecer um direito a morrer de acordo com as condições que só cada um/a pode avaliar e que só cada um/a pode assumir, de forma reiterada e acompanhada, que constituem o limite da dignidade da sua própria vida.”
José Manuel Pureza

28 de Maio de 2018
In Público

“Os carros a diesel estão acabados", acreditando que "em alguns anos eles vão desaparecer por completo. Essa é a tecnologia do passado."
Elzbieta Bienkowska

28 de Maio de 2018
In Jornal de Negócios

"A permanente defesa de uma abordagem multilateral e de respeito do Direito Internacional para os enormes desafios globais que surgem permanentemente, em particular nas questões da paz, da segurança e dos direitos humanos, bem como do desenvolvimento sustentável e do clima, realça o imperativo de uma maior união e cooperação internacional, de forma a criar condições de entendimento e diálogo que permitam ultrapassar os bloqueamentos que se colocam a nível mundial."
Comunicado do Conselho de Estado

28 de Maio de 2018

"Estamos perante este problema do envelhecimento, mas, antes disso, temos um problema de mortalidade prematura que tem de ser corrigida; o organismo do ser humano não está preparado para ser confrontado com a pastelaria de hoje. Temos os mesmos genes do Vasco da Gama, mas hoje há produção industrial de cigarros e um consumo de açúcar excessivo.”
Francisco George

28 de Maio de 2018
In Diário de Notícias